13.9.11

E é de noite que tudo faz sentido...



Me dêem licença pois eu preciso divagar ou quem sabe só ir devagar e vagar.

De repente me ocorreu que possivelmente guardo os meus pensamentos no travesseiro e é sempre muito tarde da noite quando eles resolvem se libertar. Pensar só dói quando é de verdade... quando é sobre a vida, as escolhas, as mazelas do mundo, sobre o vazio, sobre pensar. Sonhar só pesa quando o sonho é alheio. A esperança so morre quando desesperados, a matamos sufocada.

Mas o que importa tudo isso agora? Tenho pouca idade e por consequência estou impossibilitada de tentar dizer a você e até a mim mesma, o que seria a vida. Alguém um pouco mais velho se levantaria resmungando: “cresce criança, você não sabe o que é viver nem tampouco o que é sofrer”. Há sempre alguém com mais idade desmerecendo o que o novo aprendeu com os livros.

Desmerecer é achar que por está em pé em uma cadeira tem o poder de dá ordens a qualquer um que se aproxime sem lhe ocorrer que com o tempo, as pernas dessa cedem enquanto muitos estão lá fora construindo seus muros de aço.

Subestimar é se sentir mais importante do aquele que está ao seu lado numa fila qualquer. Rir com os outros sempre será diferente de rir dos outros, o primeiro é uma questão de companheirismo, o segundo não passa de uma questão de vaidade.

Cuidado e é segurar a mão de uma criança ao atravessar uma rua, mesmo que vazia. Simpatia não é sorrir a um estranho no meio da rua, é olhar com atenção as suas expressões para saber medir qual sorriso é o certo. Ou isso seria na verdade, compaixão?

Confusão acontece quando aos 10 anos se pensa uma coisa e aos 10 anos e um mês o pensamento simplesmente muda. Honestidade é aquilo que aparece quando se fecha as portas de casa. 

Vingança é quando a maldade pesa a mão sobre o pensamento. Benevolência é deixar que isso passe. Medo é olhar para qualquer semelhante seu e não se identificar.

Eis que não tão de repente, também me ocorreu que a humanidade precisa mudar. Mudança é aquilo que nos é proposto quando escolhemos caminhar por um túnel sem volta... Mas estamos tão cegos nesse instante que é melhor continuar em vão, do que arriscar alguns passos na volta.

Estamos presos na caverna de novo e de novo. A diferença é que por hora, não tememos mais as luzes ao ponto de buscar as respostas, tudo que almejamos agora é dominá-las. Dominação é quando temos certeza que temos o controle sobre algo, mas é esse algo quem está nos conduzindo.

E você, o que para onde está olhando agora? 

Nenhum comentário: