25.1.11

Por não querer nada, quero tudo.



Não quero os planos, nem os sonhos, nem essas vontades que me são postas.
Não quero ouvir dos outros que estou sonhando demais, não quero saber o que eu deveria fazer pra mudar e me encaixar.
Não quero ser sociável se isso significar sorrir sem vontade, conversar sobre assuntos que não me interessam e aturar pessoas incompatíveis com aquilo que eu sou.
Não quero ser exemplo.
Não quero ser responsável pela concretização dos sonhos de ninguém.
Não quero ter a opinião correta, o ato perfeito, a escolha programada.
Não quero ser o que eu não sou para agradar terceiros.
Não quero nada que não seja destinado a mim.
Não quero construir nada vazio, tênue ou sem espaço para ser expandido.
Não quero o quebrável, o não palpável, a desilusão.
Não quero ninguém me dizendo o que fazer para ser feliz.

Quero a sorte de saber me conduzir, de saber decidir, de olhar e saber o que fazer naquele dado momento ou pelo menos ter uma pequena intuição para me ajustar. Quero meus próprios sonhos, minhas vontades, meus objetivos.
Quero a minha própria vida, do meu jeito, com meus próprios erros e acertos.
Quero seguir meus próprios passos sem depender de ninguém pra me dizer o que eu deveria fazer ou ser.
Quero saber de mim, mais do que qualquer outro acha que sabe.
Quero encontrar meus próprios caminhos, distinguir o que me faz bem ou não, reconhecer minha própria felicidade.
Quero os meus planos e as minhas vontades sem fim.

Um comentário:

Ela. disse...

Demorei pra seguir por preguiça..mas sempre to olhando. :)
Hoje venci a preguiça!
\o






seguindo por aqui Liviaa..
:*