7.1.11

Intimidade.


A um bom tempo eu venho penando um pouco para escrever alguma coisa coerente e consistente. Agora consigo entender que para escrever, é preciso sentir... Seja raiva, amor, solidão, dor ou qualquer outro sentimento que motive e que sirva de raiz para as palavras surgirem e se alinharem na maneira devida. Escrever para mostrar a nos mesmo que estamos vivos e que sabemos disso.

Escrever nos ajuda a tirar o pano branco do rosto e a nos mostrar de cara limpa, mente aberta. É preciso acima de tudo, coragem para escrever, para se apresentar sem nenhuma máscara. Cada palavra escrita acaba virando uma verdade dita...

Deve ser por isso que nos tornamos íntimos de determinados escritores. Como velhos amigos de infância; Porque deles sabemos as dores, os segredos, as verdades, a busca intensa em se descobrir, em encontrar explicações para o mundo ao redor, para os sentimentos... sem rodeios, sem deixar margem para suspeitas. Eles se entregam enquanto escrevem e nos, leitores que somos nos entregamos do nosso jeito, enquanto lemos.

É preciso está de peito aberto para escrever, mas é preciso mais para ler e compreender. É preciso está disposto a se doar e a mudar de lugar. É necessário abraçar as inquietações.

Nenhum comentário: