19.11.10

Supere


Fiquei pensando em escrever sobre várias coisas recorrentes, mas não consegui. Escrever que sempre fez às vezes de uma segunda pele, vem se tornando uma vontade reprimida... Pela preguiça, por idéias desalinhadas ou simplesmente por uma questão de conformidade. E é quando anulo essa minha vontade de pensar, de escrever, de questionar e de mudar, que começo a me preocupar com o que posso me tornar. E tenho mais medo de me tornar aquilo que eu não quero, do que de não entender nada sobre a vida agora.
Nunca escrevi pra me ajustar, mas apenas para propagar o caos dentro da minha ordem que é sempre suspeita. Porque ordem para mim significa desconforto comigo mesma, ressecamento das emoções de quem cansou de anular os requeres e sonhos para conservar idéias que não são suas, acabando com sua energia para revidar, discutir, mostrar que tudo é bem diverso daquilo que se imagina. Porque a sua realidade não condiz com a realidade de ninguém.
Não sei se é por conforto ou por falta de voz de tanto ter gritado antes que simplesmente deixamos passar, mergulhando dentro da nossa própria cabeça, transformando isso no único modo seguro de sobrevivência. A questão é que mais cedo ou mais tarde, o corpo se acostuma e tudo que antes lhe causava danos extremos, acaba virando motivo de gargalhada ou de juras que não podem mais serem escutadas. E é nesse ponto que percebemos que tudo pode ter permanecido no mesmo lugar, mas pelo menos algo dentro de você mesmo mudou. Alguns chamam isso de força, eu ainda não tenho tanta certeza...

Um comentário:

Evandro Oliveira disse...

Conheci seu blog na comunidade Caio Fernando Abreu.
Acho que ter um blog significa ter um espaço para dividir com pessoas de todo lugar do mundo, coisas que gostamos, pelas quais nos apaixonamos, aquilo que move nossa alma e nosso coração. Você faz isso muito bem. Parabéns. Adorei o texto e o blog por isso vou te seguir. Prometo voltar aqui.

Quando possível visite o meu blog e diga-me o que achou.

http://sabordaletra.blogspot.com/