12.9.10

Olá mundo, espero que esteja me escutando.


Sempre achei que a vida, assim como os filmes, seriados e novelas, merecia uma trilha sonora, algo que torne tudo um pouco mais poético do que aquilo que realmente é. Uma trilha que seja feito por alguém alheio ao nosso caos particular, para que se perca inteiramente o controle. Uma musica para acompanhar seus passos na rua, outra para acompanhar seus pensamentos, algo que faça algum sentido dentro dessa esfera toda que tende a se perder durante os vários dias que se sucedem e se igualam como se nada fosse mudar. Porque a verdade é que quase nunca muda e quando isso acontece é tão imperceptível que não se ver acontecer.

Basta imaginar uma cena qualquer sem efeitos sonoros... Perde-se a emoção e a interação com todo o resto. Na dita “vida real”, os humanos são a cena e suas decisões a trilha sonora, algumas vezes com a interferência de terceiros, outras sobre a sua própria responsabilidade. Assim como a ausência de musica, o encaixe errado entre uma cena e uma musica causa o mesmo efeito. É preciso ter coerência... Coerência essa que eu não consigo encontrar.

Durante todo esse tempo sem escrever, percebo que duas coisas me fazem “travar”. A primeira é um conceito geral: a felicidade! Quando se está feliz o cérebro age egoisticamente de modo a preservar o máximo à sensação que a felicidade traz. Assim, quando menos a expressamos, maior é a impressão que a temos conosco. Não há alternativas, as palavras simplesmente se guardam sem autorização.

A segunda é a velha sensação de vazio, de não preenchimento em todos os sentidos, de não saber nem sequer qual próximo passo dar. A incerteza me tomou de um modo que agora não consigo mais distinguir o todo como conseguia antes e sigo sem saber definir qual o tipo de trilha sonora devo escolher para o filme que vejo passando perante os meus olhos todos os dias. A questão é que eu preciso ter alternativas, caso contrário, não consigo me equilibrar. Não sei desperdiçar energia com aquilo que não me interessa plenamente. Venho me tornando um filme sem musica, por não conseguir me concentrar e decidir que tipo de trilha sonora desejo realmente ter. Só espero ter tempo de conseguir mudar tudo antes de ficar presa definitivamente dentro daquilo que não consigo ser.

Um comentário:

Danubya Medeiros. disse...

Aninha,me vi tanto nestas suas linhas.
E eu também:"(...)sigo sem saber definir qual o tipo de trilha sonora devo escolher para o filme que vejo passando perante os meus olhos todos os dias..."
Adorei seu texto,muito!