25.6.10

Bem amigos.


Eu juro que não vou falar de novo sobre ter perdido aquele jeito de escrever que eu tinha, nem vou pedir minha criatividade de volta, porque pelo visto ela é bem surda. Então, onde você estiver querida criatividade seja muito feliz sem mim. Agora, ontinuando os trabalhos: O Dia dos Namorados passou e todos sobrevivemos, talvez alguns namorados tenham trocado presentes e terminado o relacionamento logo depois, outros devem ter noivado e essas outras tantas bobagens que fazemos quando estamos apaixonados. Já a Copa do Mundo continua firme e forte, quer dizer, forte é uma palavra que não se encaixa bem nesse Mundial, que poderia tranquilamente ser uma Copa América, já que os melhores times são sul-americanos mesmo. A França e a Itália, por exemplo, voltaram pra casa com as piores campanhas possíveis. Pois é, ninguém deu uma mão pra França dessa vez e a Itália, bem, acho que tudo acabou em pizza. Um fato importante nessa Copa merece destaque (ou não): Sabem quando os jogadores chamam o técnico de professor? Eu também o chamo assim agora e: Obrigada Dunga, com você aprendi diversos palavrões durante as suas coletivas e constatei o quanto nós brasileiros somos toscos (para não dizer imbecis)... A toda poderosa Rede Grobo (beijos, tio Roberto Marinho – ainda espero minha parte na herança), criticou o treinador pela sua ‘educação’ e eis que surge no Twitter ou em qualquer outro lugar a idéia do: DIA SEM GLOBO (provavelmente financiado pela quase poderosa rede Record de dízimos). Isso mesmo, meus caros, com a proposta de passarmos o dia inteiro sem ouvir os ‘reclames do plin plin’, genial não? Engraçado é que essa Campanha carrega mais seguidores do que as que pedem ajuda praqueles que perderam tudo nas enchentes ocorridas no meu querido Nordeste. Entendem agora porque somos imbecis, pseudo-revolucionários? Parabéns a vocês que apóiam essa campanha e sua total falta do que fazer. Nessas horas eu me orgulho de não ver televisão quase nunca e de saber canalizar minhas energias em revoluções isoladas, porém algum fundamento válido. Sinto pelas teorias de Darwin não funcionarem com nós ‘humanos’... Genial mesmo foi o CALA BOCA GALVÃO, que virou uma grande brincadeira com os gringos. Então: “Save Galvão Birds”. E pra finalizar, Obrigada Dinho Ouro Preto por ter falado sobre essa nova forma ‘colorida’ de fazer musica. Saudades da época onde as músicas tinham um contexto político e ajudavam a conscientizar a nação e não a deixá-la mais alienada ainda. (Eu, no auge dos meus 20 anos). E lembrem-se: Não soltem balões, mas bebam muito quentão. E Viva Saum Jão.


Como diria Renato Russo: “Vamos celebrar a estupidez do povo, nossa polícia e televisão”

Nenhum comentário: