17.5.10

Dispenso a previsão.

"Ah se não sou eu quem vai decidir o que é bom pra mim, dispenso a previsão..."

Queria descobrir o prazer que é para alguém planejar o futuro de outrem sem o seu consentimento... Queria entender o porque de nunca ouvirem nossas escolhas ou quando as escutam, simplesmente ignorá-las... “Não, o meu destino não é seu”. Já perdi as contas de quantas vezes ensaiei essa frase para responder aos planos de terceiros acerca do meu futuro, planos que não compartilho sobre uma vida que não será a minha. É fácil para quem está à margem dos seus sentidos e sentimentos escolher um caminho a ser seguido por você; escolhe-no e depois te comunicam e fim... sem que haja uma pergunta se quer sobre concordância ou não. No entanto, eles esquecem de uma questão primordial: apenas nós mesmos podemos dispor sobre o nosso futuro. Temos as forças sugadas quando somos obrigados a ouvir sobre uma vida que não se deseja, sobre planos que não são nossos. Antes de se planejar qualquer coisa é preciso ter anuência daquelas pessoas que estão envolvidas, não se pode calcular os passos de uma vida inteira de uma pessoa que não se encontra presente no momento dessas escolhas. É fácil para quem só sonha, planeja e não enxerga as dificuldades pelas quais passamos para nos tornamos àquilo que somos agora e o que seremos no futuro. Quando deixamos de lado a nossa vontade em função de qualquer outra coisas, estamos traindo a nos mesmo, estamos traindo nossos ideais. Ser aquilo que você deseja ou ser aquilo que lhe foi planejado é uma escolha sua, ou você decide quem é, negando toda essa conjuntura fática e indo atrás do que deseja ou suporta por toda a vida o ônus de fazer aquilo que muitos quiseram, menos você. Algumas vezes o egoísmo se faz necessário. Às vezes, enquanto estão planejando nosso futuro em alguma reunião em família, o nosso único desejo é sair correndo para um lugar onde quase ninguém consiga nos achar. Então decida: ou você trai os planos daqueles que muitas vezes não sabem nada sobre você ou trai a única pessoa em quem realmente pode confiar que é você mesmo. Infelizmente nenhuma das escolhas é fácil...


2 comentários:

Danubya Pereira de Medeiros disse...

Ótimo texto!
Infelizmente o que se tem aos montes,são pessoas querendo planejar por nós e decidir por nós,mas é nessa hora em que temos que ''bater o pé''e fazermos conforme nossa consciência e verdade.Ouvir os outros e suas razões sempre válido,mas em se tratando do nosso eu,cada um decide por si.
Ninguém saberá a melhor maneira para que Eu viva,senão Eu mesma.

disse...

Lê este post que vc vai entender... saudade das suas visitas :)

http://deliriosesuspiros.blogspot.com/2010/05/500-delirando-comigo.html