22.4.10

"Era muito impressionável e acreditava em tudo o que existia e no que não existia também. Mas não sabia enfeitar a realidade. Para ela a realidade era demais para ser acreditada. Aliás a palavra “realidade” não lhe dizia nada. Nem a mim, por Deus. Vagamente pensava de muito longe e sem palavras o seguinte: já que sou, o jeito é ser."

Nenhum comentário: