23.10.09

' ...um novelo de paz se desenrolando por dentro.'


Eu queria dizer que minha cabeça está pesada, que esse seria o meu ultimo dia ou todas essas coisas passiveis de se dizer quando se perde o motivo de sua existência, ou melhor, quando se perde aquilo que você passou a considerar como motivo de sua existência... Eu não tenho dormido, mas isso já não importa mais. Queria dizer ainda que esse é o fim de tudo, mas é finalmente, uma página virada; penso que posso até falar sobre liberdade. Dessa vez, não terá volta. Algumas chances são realmente verdadeiras e plenas, cabe a você entendê-las e aceitá-las ou não.

Às vezes eu me esqueço de como é bom ser honesta com determinadas coisas... não mascarar, não fingir, não escapar pela tangente, apenas se entregar à situação e resolvê-la, há tempos eu não me sentia assim. Nesse misto de alivio e dor. Parece que aquela coisa que pensávamos que ia nos levar a morte, na verdade, veio apenas para nos dá uma nova vida... um novo caminho. Para nos salvar da areia movediça que nos metemos tempos atrás, onde não se afoga por inteiro, mas também não há possibilidade nenhuma de saída... Me senti leve e eu nem me lembro a ultima vez que planei assim. Meu corpo está no alto até a segunda ordem... Vou sentir falta, o costume mata. Mas eu andei sentindo muita falta de mim por um longo tempo, a distância quase me matou... E tenho dito!

Um comentário:

maria vicentina disse...

PARABÉNS, ANIIIIIIIIINHA :)