5.10.09

E era simples...


Por mais que eu lute contra, todos as minhas dores, decepções, desgostos, magoas, raivas... (seja lá o nome disso) se transformam em sono. Ultimamente tenho tido tanto sono que isso me impede até de escrever, deve ser algum mecanismo de defesa que meu cérebro criou para não ter que enfrentar e enxergar mais o mundo... Vagas suposições. Simples e vãs.

Interessante como os fatos se desdobram na nossa mão. Algumas pessoas que te condenam, que te negam, que te insultam, seja apenas com uma pequena palavra ou mesmo a falta dela, ou com alguma atitude, posteriormente se vangloria a suas custas, fala o que não deve, o que não entende e supõe ser inteligente, por está sempre munida daquela sua velha hipocrisia. Sim, é uma palavra forte, mas a única que eu consigo usar nesse instante. Alguns só acreditam em você quando precisam da sua imagem para mostrar a outrem que entende, que dota conhecimentos e que se ele não consegue ser igual, pelo menos alguém próximo poderá ser... Mentiras! Farsas!

E isso me corrói o cérebro... Não se deve por palavras na boca de ninguém, mesmo se esse quase nunca falar. Não devemos colocar nossos sonhos nas pessoas, isso é personalíssimo, cabe a você, somente a você decidir se quer sonhar... Não dê explicações por ninguém e principalmente não invente mentiras ao meu respeito, eu tenho as minhas próprias para cuidar!

E me vem àquela vontade de falar no impulso: ‘Sua hipocrisia e pseudobondade me dá vontade de vomitar...’. Saio de algum lugar e fico imaginando o que é dito ao meu respeito, nem sempre essa impressão é boa. Porque na maioria das vezes, aqueles nem me conhecem de verdade... E mesmo que minha vida seja pequena agora e meus sonhos grandes, e mesmo que eu não entenda ainda quem sou... mesmo que tenha a impressão de ter o mundo caindo sobre minha cabeça a maior parte do tempo... Com todo respeito, cabe apenas a mim, afirmar ou negar coisas sobre o meu eu... e fato é que eu entendo mais de mim do que qualquer perspectiva que tenham feito sobre ser boa ou não em alguma coisa... É certo que eu não sei de um tanto de coisas, mas também é certo que sou eu posso decidir o que vou querer saber ou não.

Primeiro me enxerguem... E somente depois, pensem em contar coisas sobre mim!

Um comentário:

Lobo solitário e desdentado disse...

Comecei a acompanhar teu blog porque uma amiga minha me disse que gostava muito do que você escrevia... resolvi conferir e de fato eu tenho a mesma opinião que a dela!
Parabéns pelos escritos... são farpas necessárias para a criação dos anticorpos do bom senso...