7.9.09

Se é coragem, eu não sei!


Vai ficando cada dia mais difícil o fato de as palavras terem se afastado de alguma maneira de mim. Eu aceito tudo, menos perder a minha salvação!! As coisas já estiveram melhores; os dias já passaram de forma mais digna; o tempo... esse apenas aumenta a minha angustia. Não consigo ter pensamentos inteiros, que valham realmente a pena serem relatados, ando tendo sonhos estranhos também, misturados, assim como a minha vida, minha mente. Penso que eles estão refletindo a estranheza dos meus dias. Estranheza! Essa é a palavra certa, apesar de pouco usual. Não sei, eu não entendo os motivos. Dessa vez, eu realmente não sei. Crise dos 20? Talvez... mas mesmo que fosse, não era pra começar agora, posto que ainda faltam uns 50 dias e eu não sou lá tão precoce assim, eu acho.

Uma porção de coisas deixou de fazer sentido e eu já não tenho mais medo disso que antes me aterrorizava; tenho percebido que se entregar se faz mais fácil agora... ‘Lutar? Pra que?’ Não há mais razão alguma, porque aquelas nas quais eu me sustentei todo esse tempo ficaram repetitivas demais, tensas, inverídicas para mim... e ando tão cansada disso que aceito a idéia mais triste de prontidão. Estou aceitando perder! Nietzsche citou certa vez que quando olhamos demais para o precipício, ele começa a olhar de volta pra gente. Creio eu que estamos virando melhores amigos agora... e tenho dito.

Nenhum comentário: