6.8.09

2.5




Ando muito completo de vazios.
Meu órgão de morrer me predomina.
Estou sem eternidades.
Não posso mais saber quando amanheço ontem.
Está rengo de mim o amanhecer.
Ouço o tamanho oblíquo de uma folha.
Atrás do ocaso fervem os insetos.
Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu destino.
Essas coisas me mudam para cisco.
A minha independência tem algemas.

2 comentários:

CaiXote De PanDoRa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CaiXote De PanDoRa disse...

Olá querida,sei bem como se sente.
E as tuas palavras acabam sendo minhas quando me sento ao fim do dia e penso sobre pessoas e vidas.
As coisas não precisavam ser tão complexas,né?!

Beijos...boa semana pra ti..muita fé e luz!