27.6.09

Pra poder te negar, bem no ultimo instante...


Incrível como às vezes passamos despercebidos em situações ou mesmo para pessoas. E não estou eu aqui descrevendo momentos em que se quer está assim, porque tem hora que é o melhor mesmo é fingir que não é com você, que não ouviu, nem tampouco viu. Mas é ruim perceber isso quando se está gritando para não ser deixado para trás.Só que algumas vezes, ninguém faz questão mesmo.
E volto a repetir: pessoas, sejam quem for, se importam primeiro consigo mesmo, nada daquela velha ‘moralzinha’ de o outro em primeiro lugar... sim, atiro pela janela todo altruísmo que determinadas pessoas dizem ter; mais ainda aquele sempre relatado, exposto.
Quando se é bom, porque se acha fundamental para se viver, ou quando ajudamos outrem, simplesmente por ajudar, eis que ele surge em pedaços pequenos, e vai ficando forte. Falo de vontade de tornar a vida do outro melhor. No entanto, quando se é bom para mostrar a terceiros, quando se ajuda para contar em mesas de bares e amigos acharem tão façanha admirável... estamos falando, então de um dos piores defeitos que alguém pode ter.
E tem aquela velha máxima: ‘Quem fala demais, geralmente mente muito, porque falta historia pra contar...’. Nem sempre somos os bonzinhos que aparentamos ser, nem sempre somos as pessoas más julgadas reiteradamente, nem tampouco aqueles que parecem distantes, ausentes das situações, realmente estão. É que às vezes esquecemos de observar... E só precisamos observar! Melhor ser o tolo das situações, aquele inexperiente na vida, melhor ser “o esquecível”... do que mentir todo dia para si mesmo.

Um comentário:

Flor disse...

Eu minto pra mim todos os dias, eu não falo, calo, ou falo, compulsivamente, como sou compulsiva, impulsiva. Louca, desvaraida, atrapalhada. É tanta coisa que até faz mal.

Beijo.