13.11.08

'palavras repetidas


É que no final a gente cansa.

Desses sorrisos falsos, abraços soltos, pseudoprestações: “me sirva, para ser servido”. Cansa ser gente e conviver com pessoas, ou ser pessoa e ser igual a todo mundo achando que se é diferente... Vai ver que não existe nenhuma diferença. E se é igual a todo o resto, e mesmo querendo ser diferente não se pode ser. E quando se é, depois de muitas falhas e tormentos, vai-se morrendo aos poucos, porque as coisas do mundo fazem questão de te matar. Aquela criança que não tem o que comer, enquanto outra chora porque o pai não quer lhe dar o brinquedo mais caro. O pai de família que rouba pra dar comida aos filhos, no mesmo instante que outro compra alguma passagem internacional pros seus, que precisam conhecer outra coisa, alem de um país de terceiro mundo. Nem adianta mais dizer que dói na alma, porque a verdade é que, não agiríamos tão diferente se pudéssemos. Tem sempre alguém querendo mostrar ao outro que é melhor, que não vai ajudar outrem, uma vez que sua parte já está feita, vai ter sempre algum esperando sua queda pra sorrir e ser feliz, com a sua infelicidade. Isso de ser gente no meio de pessoas, enjoa. Enjoa tanto que a vertigem fica incontrolável e a única coisa que lhe resta fazer, é correr desesperadamente e juntar-se a elas, antes que as mesmas te absorvam e façam de você algo nunca notado. Por que enquanto se é um NADA, qualquer um pode tentar te explicar; o que é bem diferente de não existir. Porem, infelizmente isso não quer dizer que você não vá sentir tudo que sentia antes. Mania idiota de ser e mesmo que aparentemente igual às pessoas, não deixar de ser gente. MAS QUAIS SÃO AS PALAVRAS QUE NUNCA SÃO DITAS?

Nenhum comentário: