7.10.08

A inércia, a preguiça...

O tempo passa, é inevitável... Perder tempo se faz para mim, também inevitável... Não sei conviver com algumas coisas simples como: cumprir horários, fazer as coisas no tempo pré-determinado, não acumular tarefas, dormir antes do dia clarear. Ando com preguiça demais de tudo, das noticias na televisão que nunca mudam, dos filmes que são sempre os mesmos, dos livros espalhados pelo quarto, ando cansada da minha bagunça, da minha falação ou falta dela, da minha ocupação constante.

Ando com preguiça de muita gente, de muitos assuntos, da uma tecla qualquer desse teclado que por vezes me ajuda, por vezes, me atrapalha. A mão cansada de escrever coisas necessárias ou não. Uma falta de vontade constante e dominante.

As vezes, parece que as musicas me dão dores de cabeça, alias, tudo me dar dor de cabeça que fica comigo durante dias e mais dias, guerreira, companheira, me roubando aos poucos a paciência quase nunca acumulada; filmes? Preciso de paciência para lê-los... tanto quanto os livros, sim... Ler filmes, mas do que vistos, eles precisam de uma leitura sua, única, exclusiva, porque só quem viu pode dizer se aplicará ou não em sua vida num dado momento. Agora eu to com preguiça de continuar esse texto. Com sono e preguiça...

E a agenda ta cheia de obrigações, o complicado mesmo é saber se eu anotei mesmo ou só pensei... Para em poucos segundos ter esquecido novamente. Ando com muita preguiça de lembrar! Como diz a Tati Bernardi... “É que dá uma preguiça de existir.”

Nenhum comentário: