12.4.08

Ecce Homo!


Sobre a ponte eu estava,
Há dias, na noite cinzenta.
Ao longe ouvi uma canção:
Ela pingava gostas de ouro
Pela superfície trêmula.
Gôndolas, luzes, música –
Ébria, ela nadou para a escuridão...

Minha alma, uma alaúde,
Cantou a si, invisível e ferida,
Uma canção veneziana, e segredou,
Trêmula de ventura colorida.
- Será que alguém a escutou?...

Nenhum comentário: