9.3.08

- I am mine!


Porque quando a gente mergulha nas profundezas na nossa mente, começamos a perceber coisas desconhecidas sobre nos mesmos, as atitudes que tomamos em determinados momentos que mudaríamos caso ocorresse aquele fato novamente; as oportunidades que perdemos, tomados por medo ou talvez por orgulho. Porque tantas e tantas vezes, ocorre de querermos ser aquilo que não somos e nessas fases da vida, ela nos prova que não adianta corre para o mais longe de uma conseqüência, no fim ela sempre vem e bate a sua porta. Se pararmos e analisarmos, somos mais nossos erros que acertos, dificilmente somos lembrados pelos últimos, mas seremos eternamente julgados pelos primeiros. Mas, o que diz quem nos somos: o erro em si ou o que aprendemos com ele? Existe uma linha tênue entre ser julgado e ser julgador, porque no fim, ficamos sempre no meu entrave: na mesma proporção que exercemos um desses lados, outrem exerce o oposto em relação a nos. E então, o que fazer? Como agir? Todos temos a livre escolha e a livre opinião, que de forma alguma deve ser escondida, porém quando avançamos alem de nos mesmos, quando mantemos relações com os demais, é preciso ponderação. Chutar o pão da barraca nunca solucionou nada por inteiro. Antes de ser julgador – devemos medir o que nos irá julgar. E quando julgados, devemos ter certeza daquilo que somos, para que você mesmo não venha acreditar naquilo que lhe dizem. Nada de mentiras repetidas varias vezes, tornando-se verdade. Já dizia o poeta que: mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira. Então... Que são os outros, se você não fizer deles algo? Há um narcisismo evidente, uma prepotência, uma ligeira grosseira nos humanos que treme a alma. De fato, qual o verdadeiro valor que devemos dar a determinação situação? Que tipos de gente, digo gente, porque considero o termo pessoa seco e alheio, gente sim, que tipo delas você vai querer em sua vida? Ao que dar importância? Pra onde correr? O que fazer? Eu, sinceramente, ainda não sei. Talvez eu nem chegue a descobrir. Mas, as perguntas continuarão sempre aqui, tomando minha mente! Que tipo de julgador e de que forma sou e serei mais julgado? Porque se dizem que o mundo é uma incógnita, imagine seus habitantes ditos racionais... Ou seriamos meramente irracionais? Vai saber... E tenho dito