10.2.08

ar

Imagens do ar, suaves, flutuantes, Ou deliradas, do alcantil sonoro, Cria nossa alma; imagens arrogantes, Ou qual aquela, que há de riso e choro: Uma imagem fatal (para o ocidente, Para os campos formosos d'áureas gemas, O sol, cingida a fronte de diademas, índio e belo atravessa lentamente): Estrela de carvão, astro apagadoPrende-se mal seguro, vivo e cego,Na abóbada dos céus, — negro morcegoEstende as asas no ar equilibrado.
.
{ Sousândrade }

Nenhum comentário: