5.12.07

O ser e o não-ser!


O Ser, diz Melissos*, não pode ter começado nem pode terminar e por isso é limitado no tempo, ou melhor, não há tempo (o tempo e a mudança não opiniões dos mortais). Se não começa nem termina e se é infinito, não pode ter limites nem no tempo nem no espaço, pois se houvesse limite, o que haveria fora do limite? O Não-Ser, sendo infinifo no espaço, o ser é uma grandeza infinita e indivisivel e, portanto, pleno, pois se houvesse intervalo entre suas partes, o intervalo, sendo ausência de ser, seria o não-ser. Assim, o ser não tem partes e o vazio não existe. Não havendo partes não há misturas, não havendo vazio, não há movimento.
.

* Melisso de Sámos (490 - 450 a. C.) - Militar, político, filósofo e poeta grego nascido na Ilha de Samos, Mar Egeu, um estadista e comandante naval sâmio que também contribuiu com a filosofia, e produziu influência no atomismo de Leucipo e Demócrito, tornando-se um dos continuadores da escola eleática, os quais tenderam a conciliações.

Nenhum comentário: