14.9.07

A ciência e sua procura por Deus...

A religião e a ciência


Durante muito tempo Deus foi o principal responsável pelo sucesso da humanidade. Isso se deu principalmente pela influência religiosa exercida pela igreja católica no século das Trevas.
A ciência surge como antagonista – idéias de que haveria outras formas de explicação para as coisas.
Ou seja, um abandono gradativo da fé e religião em nome de outra crença: a busca por explicações “objetivas” para todos os fenômenos. O homem é o único animal racional existente, logo tem por dever, duvidar e buscar respostas para as coisas ainda sem explicação.
No século 20, Nietzche, Marx, Freud, Sartre – apostaram na “morte” de Deus e no inicio da “era da razão” – o que não se concretizou. O que se observa hoje é uma revalorização da fé (inclusive entre os cientistas). Em regimes socialistas onde há a abolição da religião e por conseqüente, “proibição” da fé; essa é substituída por ideologias.
Cabe a ciência provar a existência de deus?


Nenhuma teoria pode ser vista como ameaça às religiões, pois essas trabalham juntas: a ciência, explicando os fenômenos naturais e a religião como pilar dos valores éticos e a busca de um sentido espiritual para a vida.
Deus é apenas uma entre as inúmeras concepções de divindades – cada cultura possui as suas. Então, como poderia a ciência encontrar Deus?
Todas essas culturas têm algo em comum – o fato de existir uma ordem, um propósito (um sentido) no Universo. Nenhuma tem o propósito de que o acaso e a indiferença regem as nossas vidas.
E FOI ESSA BUSCA QUE IMPULSIONOU A CIÊNCIA.

Se há uma ordem no universo, deve existir quem comande todas as forças da natureza, quem nos comande.
Darwin, pois em xeque a visão essencial de Deus para todas as coisas com a teoria da seleção natural (os mais fortes resistem ao meio). Ele nunca disse que os homens descendiam dos macacos – apenas que os homens e macacos eram parentes evoluídos de um ancestral comum (barreiras geográficas).
O fato é que o estudo da história da vida em nosso planeta comprovou que durante milhões de anos, outras espécies reinaram por aqui, sem que houvesse necessidade dos homens. Se a história do universo fosse condensada em apenas um ano, o aparecimento da espécie humana teria ocorrido nos últimos instantes do dia 31 de dezembro.
Será que a descoberta da ordem no universo, seria a prova da existência de Deus? Ou será que a busca pelo divino não passa de uma necessidade inventada pelo homem para colocar um sentido em tudo?
Há aqueles que acreditam na complexidade da vida explicada por um ser superior e os que acreditam que Deus é apenas um traço biológico da nossa espécie (somos programados para ter fé).
Nossa inclinação para acreditar num ser superior pode ser resultado da submissão animal. O ser humano evoluiu geneticamente para acreditar em Deus. Seria essa uma das razões porque Deus é sempre invocado quando precisamos lidar com temas etéreos (bondade, solidariedade, honestidade).

Independente de acreditar em um ou mais deuses, a fé faz bem para o corpo e a mente, pois melhora as condições de saúde e aumenta a sensação de felicidade.

Com isso, a ciência está longe de provar a existência (ou inexistência de Deus), como esse rege e ajuda os seres humanos. Independente de credo, de religião. A única prova existente sobre isso é a que acreditar em algo e principalmente que esse pode te salvar das situações difíceis, é o que ainda sustenta a humanidade. O que nos conforta é que é possível melhorar o mundo pela fé.

Nenhum comentário: